);

O que é a gestão? O que faz um gestor?

Os picos picam. As melgas melgam. Os gestores gerem.

E o que é isso da gestão? Os mais velhos perguntem às suas mães como faziam para fazer render os salários dos pais ao longo de um mês. Só se consegue gerir o que se tem. Quando se gere o que não se tem, porque outros mais tarde o pagarão, gastando-se mais do que se ganha, cria-se um défice, ou seja, um diferencial negativo nas contas. Mas isso já é outra história…

Então, o que é isso da gestão? Gerir implica a obtenção de resultados através dos esforços dos outros. Um gestor utiliza os recursos humanos, financeiros, materiais, tecnológicos e de informação ao seu dispor. Através de diversos processos, o gestor vai alcançar determinadas metas, fabricar produtos, disponibilizar serviços, obter ganhos de eficiência ou aumentar a eficácia.

As funções principais de um gestor resumem-se (por favor colocar entre aspas, porque quem faz da gestão a sua profissão sabe que são tarefas muito exigentes) a quatro grandes áreas:

Planeamento

  • Conhecendo-se os recursos à sua disposição o gestor traça a estratégia para alcançar os objetivos definidos. Para que esta estratégia possa ser conhecida de todos na empresa, e para que cada elemento saiba o que lhe compete fazer, elabora-se um guia o qual pretende antecipar – tanto quanto for possível – as ações e tarefas a executar;

Organização

  • Após se saber o que se deve e quando fazer, importa determinar quem e com que recursos. A este processo chama-se organização, na qual são estabelecidas as relações entre os diferentes recursos na prossecução dos objetivos;

Direção

  • Para que as ações planeadas e adjudicadas aos trabalhadores sejam efetivamente realizadas o gestor tem de dirigir a empresa. Isto significa liderar e influenciar os recursos humanos e levá-los a fazer o que deve ser feito. O gestor tem à sua disposição três importantes ferramentas para utilização diária e constante: motivação, liderança e comunicação;

Controlo

  • Infelizmente, uma grande parte dos empresários confia em demasia nas capacidades dos seus recursos humanos. Estes, mesmo sendo excelentes, possuem diferentes motivações e nem sempre atuam no melhor interesse da organização. Assim, ao gestor importa controlar todos os processos, adequando as tarefas aos melhores profissionais, aconselhando formação aos quadros quando necessário, recomendando ações corretivas ou simplesmente reformulando o plano inicial sempre que necessário.

Gerir é uma das missões mais complexas existentes nas empresas. Mesmo quando se gere o próprio património, qualquer decisão pode implicar uma quebra de receitas, o despedimento de funcionários, bem como a conquista de novos clientes, o aumento das vendas ou a internacionalização do negócio. Os altos e baixos da gestão fazem parte do dia-a-dia do gestor, cuja resiliência, capacidade de colaboração e de comunicação, conhecimentos de finanças e pensamento crítico são algumas das características mais apreciadas na atualidade.

 

Photo by rawpixel on Unsplash

Deixe uma resposta