);

Só há uma forma de nunca falhar: não tentar.

O caminho para o sucesso é um cemitério de ideias espetaculares e a marca da persistência do empreendedor.

J. K. Rowling bateu à porta de 12 editoras antes de conseguir publicar o seu primeiro livro. Foi apenas a sua perseverança que a fez continuar a acreditar que tinha nas mãos uma boa história que merecia ser contada. A história que se seguiu é sobejamente conhecida. A atualmente multimilionária escreveu mais livros da saga, cujos enredos foram adaptados ao cinema e Harry Potter transformou-se numa máquina de fazer dinheiro.

A finlandesa Rovio descobriu o caminho para o sucesso com o popular jogo eletrónico Angry Birds. O catálogo inclui mais de 30 mil produtos, diversas variações do jogo, adaptações para o cinema, valendo muitos milhões de euros. O que pouca gente sabe é que este “sucesso repentino” só foi possível por, anteriormente, terem sido lançados 51 jogos dos quais ninguém se lembra.

Na cultura anglo-saxónica, o fracasso é parte integrante do percurso de qualquer empreendedor. São inúmeros os casos de sucesso após inúmeros insucessos.

O empresário Richard Branson já lançou mais de 400 negócios, muitos dos quais foram estrondosos fracassos, como a Virgin Cola, a Virgin Brides, a Virgin Cars ou a Virgin Cosmetics.

Henry Ford trabalhou com Edison na criação da Detroit Automobile Company que durou cerca de um ano. Ford lançou, então, a Henry Ford Company, a qual ambicionava criar automóveis de corrida. A saída de Ford, juntamente com o seu nome, alterou o nome da empresa para Cadillac Motor Company. Por isso, só à terceira tentativa Ford logrou alcançar o sucesso.

Walt Disney, criador de um dos maiores impérios multimédia do mundo foi despedido de um jornal acusado de ter falta de ideias e de imaginação.

Um professor de Fred Smith considerou a sua ideia da FedEx de “interessante, mas inviável”.

Steve Jobs foi “despedido” da sua própria empresa, a Apple, atirando-o para um dos momentos mais criativos da sua carreira.

O jovem Steven Spielberg foi rejeitado por uma escola de cinema três vezes, antes de ser aceite por outra escola, da qual desistiu para se tornar um dos maiores realizadores de todos os tempos.

Existe um número de vezes ideal de fracassos para se alcançar o sucesso? Sim. Deve-se tentar até se conseguir.

O sucesso atinge-se quando:

  1. Aprendemos a falhar rapidamente. Agir e tentar coisas diferentes. Só não erra quem nada faz;
  2. Aprender pelo erro. A curiosidade é fundamental para o processo. Compreender o que falhou, porque falhou e o que se pode fazer de diferente para evitar o erro;
  3. Tentar novamente.

Seguindo estes princípios básicos, é possível criar valor e enfrentar a difícil concorrência dos tempos modernos.

 

Deixe uma resposta